×SegurançaGeralViver BemCasa e DecoraçãoComer e BeberModa e EstiloVeículosQuem somosEsporteSeu PetRegiãoViagensTecnologiaVídeosEmpresas e EntidadesBairrosCulturaVariedadesEleiçõesBrasil

INDÚSTRIA MOVELEIRA: Perdas de faturamento no polo de Bento beiram os 8%

Acumulado negativo de janeiro a maio, embora preocupante, ainda é menor do que a situação do ramo no Estado, onde a quebra é de 14,2%

23/07/2020 02:44

A indústria moveleira ainda sente o forte impacto causado pela pandemia do novo Coronavírus no Brasil. As informações de faturamento no mês de maio mostram uma leve diminuição nas perdas para o polo moveleiro de Bento Gonçalves. No acumulado de janeiro a maio, entretanto, a queda ainda é bastante considerável. O faturamento do polo nos cinco primeiros meses de 2020 foi de R$ 656,9 milhões, queda de 7,9% em relação ao mesmo período do ano passado.

Apesar dos índices ainda negativos, o Sindicato das Indústrias do Mobiliário de Bento Gonçalves (Sindmóveis) considera que os números do mês de maio podem mostrar uma pequena reação em Bento Gonçalves – cenário a ser confirmado quando da divulgação dos dados de junho. As indústrias moveleiras do estado como um todo estão em pior situação, com uma queda de 14,2% no faturamento entre janeiro e maio desse ano, em relação ao mesmo período de 2019.

O setor moveleiro no Brasil já estava com dificuldades na recuperação da crise devido à baixa atividade econômica, não registrando crescimento em 2018 e 2019. No polo de Bento Gonçalves, o faturamento não caiu no ano passado, mas estagnou em termos reais. O saldo de empregos também ficou estável, com uma pequena queda (em torno de 1% na força de trabalho).

O desempenho de 2020 vinha sendo positivo quando avaliados apenas os meses de janeiro e fevereiro e, antes da crise, a projeção era de crescimento nesse ano. Considera-se que março e abril tenham sido os piores da história para a indústria moveleira.

O polo moveleiro de Bento Gonçalves é o principal do país e inclui cerca de 300 indústrias dos municípios de Bento Gonçalves, Monte Belo do Sul, Pinto Bandeira e Santa Tereza.

Fotos: Divulgação/Sindmóveis - Fonte: Imprensa Sindmóveis