×SegurançaGeralViver BemCasa e DecoraçãoComer e BeberModa e EstiloVeículosQuem somosEsporteSeu PetRegiãoViagensTecnologiaVídeosEmpresas e EntidadesBairrosCulturaVariedadesEleiçõesBrasil

BOA NOTÍCIA: Primeira vacina contra o coronavírus é registrada

De acordo com a agência de notícias russa Interfax, Rússia garantiu que a dose passou em todos os testes e foi eficaz no desenvolvimento de anticorpos contra a doença.

11/08/2020 10:38

As pessoas acometidas pelo coronavírus tiveram uma boa notícia na manhã desta terça-feira, 11 de agosto. A Rússia registrou a primeira vacina do mundo contra a Covid-19, aumentando as esperanças de cura da doença no curto prazo. 

Na última semana, as autoridades russas afirmaram que a proteção foi capaz de criar uma resposta imune nos voluntários que participaram da segunda (e penúltima) fase de testes clínicos. “Esta manhã, pela primeira vez no mundo, uma vacina contra o novo coronavírus foi registrada”, disse o presidente da Rússia, Vladimir Putin. “Sei que é bastante eficaz, que proporciona imunidade duradoura”, acrescentou. 

O presidente também informou que uma de suas filhas foi vacinada contra a covid-19. “Uma de minhas filhas foi vacinada, tendo participado da fase de testes. Após a primeira vacinação, ficou com 38 graus de temperatura, no dia seguinte tinha 37 graus e pouco. E é tudo”, afirmou Putin.

De acordo com a agência de notícias russa Interfax, Putin garantiu que a dose passou em todos os testes necessários e que, a partir de agora, a vacinação será "exclusivamente voluntária". Mikhail Murashko, ministro da Saúde do país, também reforçou que o imunizante, desenvolvido pelo Gamaleya Center, foi eficaz no desenvolvimento de anticorpos contra o coronavírus e não ofereceu nenhuma complicação grave aos voluntários que o receberam.

Se a vacina der certo, a Rússia ganhará a nova guerra fria em busca de uma proteção contra a covid-19. Estudos sobre a eficácia dela devem ser publicados já no final deste mês. Além de aliviar a crise de saúde mundial, que já matou mais de 730 mil pessoas, seria um golpe nos Estados Unidos e no Reino Unido, que recentemente acusaram o país de hackear seus sistemas para derrubar pesquisas sobre vacinas contra a covid-19.

Fotos: Divulgação - Fonte: Divulgação