×SegurançaGeralViver BemCasa e DecoraçãoComer e BeberModa e EstiloVeículosQuem somosEsporteSeu PetRegiãoViagensTecnologiaCulturaVídeosEmpresas e EntidadesBairros

Dicas para você economizar na hora das compras de material escolar

Especialista em finanças pessoais mostra como você pode adquirir os produtos para seu filho sem estourar o orçamento e contrair dívidas.

16/01/2020 09:08

Todo início de ano é a mesma coisa. Chega metade de janeiro e, como se já não bastassem os gastos excessivos com as férias e festas de fim de ano, quem tem filhos ainda precisa encarar a dispendiosa tarefa de comprar os materiais escolares para o novo ano letivo das crianças.

Para evitar um rombo no orçamento familiar e seguir o ano sem tantas dívidas é preciso agir com prudência. Com mais razão e menos emoção. Ainda mais quando estamos falando de compras junto com crianças. E o caminho para isso começa bem antes da hora da compra.

Segundo Carla Oliveira, especialista em finanças pessoais, o segredo está em conseguir se organizar para ter tempo suficiente para fazer pesquisas, comparar preços e encontrar o melhor lugar para fazer a compra. Além disso, aproveitar esses dias para envolver a criança na pesquisa e decisão de compra também é uma ótima oportunidade de começar a inserir em seu cotidiano noções de educação financeira. “Os pais podem estabelecer um orçamento e conversar com as crianças, mostrando com quais materiais vale a pena gastar um pouco mais e com quais podem gastar menos para economizar”, explica Carla.

Para ajudar os pais nesse desafio das compras de material escolar, a diretora selecionou algumas dicas para não gastar mais do que o necessário:

Veja os materiais do ano anterior e o que pode ser reaproveitado

Confira tudo o que sobrou do ano anterior e veja o que pode ser reutilizado. “O ideal é que uma mochila, por exemplo, possa ser reaproveitada por muitos anos, assim como, tesouras, estojos e outros itens mais resistentes”. No entanto, Carla também explica que alguns materiais específicos não devem ser reutilizados, como por exemplo, os cadernos.  “Certos itens incentivam o aluno a estudar. Um caderno novo, por exemplo, pode fazer toda a diferença. Para não desperdiçar, os antigos podem ser utilizados como rascunhos ou para estudos em casa”, sugere a especialista.

Combine um orçamento e converse com seu filho

O segundo passo é estabelecer um orçamento e explicar ao seu filho o quanto pode ser gasto. Para facilitar as coisas no dia da compra, você pode levar uma calculadora e utilizá-la junto com seu filho. Sem dúvida, é uma ótima oportunidade para mostrar às crianças, na prática, como funcionam alguns conceitos importantes da educação financeira, como diferenças de preços, descontos, etc. Se o seu filho compreender o valor de cada material, ele passará a ter um cuidado maior com suas coisas – o que aumenta a quantidade de produtos que poderão ser reaproveitados no ano seguinte.

Faça uma lista do que precisa ser comprado

Provavelmente, você e seu filho irão se deparar com materiais incríveis durante as compras. Eles podem ser muito sedutores, mas fogem completamente do seu orçamento. Para evitar gastos desnecessários, tenha uma lista e só compre o que fizer parte dela.

Fuja de marcas e personagens

Os personagens dos desenhos animados podem até ser fofos, mas deixam qualquer produto mais caro. Por isso, foque na qualidade dos produtos e fuja de marcas exageradamente caras e de produtos com personagens – até porque daqui alguns meses seu filho pode nem se lembrar mais dele. Sobre as marcas de “estimação”, a especialista alerta: “É bom conhecer as marcas e saber suas preferidas, mas não se limite a elas”.

É importante tomar cuidado também com as estampas dos produtos. Para que os materiais durem mais tempo, procure por cores mais básicas e estampas mais discretas.   

Foque em materiais duráveis

Para economizar, o conselho é não comprar o produto mais caro da loja. Mas também não se engane com os produtos extremamente baratos. Comprar um material que daqui poucos meses ou até semanas vai estragar não é uma decisão financeira inteligente. Procure sempre materiais que unam preço e qualidade. “Investir no barato, sem uma durabilidade adequada não será uma economia, mas apenas uma preocupação futura”, reforça Carla.

Converse com outros pais

Nada como conversar com quem está passando pela mesma situação que você. Além de trocarem dicas de bons lugares e produtos, você e outros pais podem se organizar e procurar uma loja de atacado para irem juntos. Criar grupos de troca e reaproveitamento de materiais também é uma ideia que pode valer muito a pena.

Pesquise

Uma boa pesquisa de preços e produtos não deve ser feita apenas em janeiro. Acompanhe, ao longo do ano, as lojas de materiais escolar e fique sempre de olho nas promoções. Ofertas muito específicas em época de compra de material escolar nem sempre valem a pena. Ter uma noção do preço dos produtos que precisa comprar, irá facilitar muito suas compras.

Fotos: Divulgação - Fonte: Divulgação