×SegurançaGeralViver BemCasa e DecoraçãoComer e BeberModa e EstiloVeículosQuem somosEsporteSeu PetFotosViagensTecnologiaBairrosCulturaVídeosEmpresas e Entidades

Justiça começa a bloquear bens de sócios da Unick

Justiça de São Paulo conecedeu duas liminares a clientes, enquanto uma pessoa lesada garantiu liminar na justiça do Rio de Janeiro.

15/09/2019 10:47

A situação dos sócios da Unick Forex, agora Unick Academy, vai ficando cada vez mais complicada. Na semana passada, aconteceram as primeiras ordens judiciais de bloqueio às contas dos sócios da empresa para pagamento de clientes que ingressaram na justiça exigindo seu dinheiro de volta. A empresa prometia lucros exorbitantes aos clientes, por meio de investimentos, impediu, há mais de 30 dias, os saques dos clientes.

A Justiça de São Paulo concedeu duas liminares em favor de dois investidores que ficaram sem receber os saques da Unick Forex. De acordo com as decisões, a empresa terá sua conta bloqueada (arresto judicial) até o limite do valor das ações. Num dos processos, o investidor não só acionou a Justiça contra a Unick Forex, mas também contra a empresa de pagamentos Urpay, a qual intermediava as operações.

A primeira decisão liminar foi proferida na segunda-feira, 9 de setembro, pela juíza Mariana Dalla Bernardina, da 4ª Vara Cível do Foro Regional VIII de Tatuapé (SP). Nesse processo, apesar de estarem como réus apenas a Unick Forex e o presidente da empresa Leidimar Lopes, a juíza ordenou que fossem arrestados (espécie de bloqueio) os créditos pertencentes a essa empresa que estejam sendo administrados pela Urpay, até o limite do valor da ação. “Defiro o arresto dos créditos de titularidade da requerida Unick Sociedade de Investimentos Ltda., CNPJ 19.047.764/0001-60, por ventura administrados pela terceira Urpay Tecnologia em Pagamentos Ltda (CNPJ: 26.463.227/0001-67), até o limite de R$ 3.700,00” determinou a juíza.

A segunda liminar foi deferida pelo juiz Jorge Alberto Quadros de Carvalho Silva, da 3ª Vara Cível do Foro Regional I de Santana (SP). Ele ordenou que as contas tanto da Unick Forex quanto da Urpay fossem arrestadas (espécie de bloqueio) a fim de garantir no fim do processo a execução. O processo também tinha no polo passivo uma outra empresa chamada Pronei Promotora de Negócios Ltda, a qual também deverá ter suas contas arrestadas até o limite de R$ 6.415,28 (valor da ação judicial).

Apesar de ser uma medida liminar, o juiz não escondeu a suspeita de as operações da Unick Forex se tratar de um esquema de pirâmide financeira. Foi essa a fundamentação, inclusive, utilizada por Silva para deferir o pedido liminar. “Considerando a grande possibilidade de fraude e pirâmide financeira, a fim de resguardar a eficácia de eventual sentença condenatória, defiro a medida liminar, para determinar o arresto do valor indicado na petição inicial (fls. 12), nas contas mantidas pelas rés nas diversas instituições financeiras do país”.

Justiça do Rio de Janeiro também determinou bloqueio de valores

No Rio de Janeiro, o Tribunal de Justiça determinou a penhora dos bens de todos os sócios da Unick Forex na quinta-feira, 12. Um cliente irá receber R$ 2.500 da empresa, após o juiz do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro determinar o pagamento. Além disso, a Justiça designou que a companhia pague por danos morais ao cliente, que irá totalizar um montante de aproximadamente R$ 26 mil.

Intimados pela Justiça do Rio de Janeiro, os sócios da Unick Forex não compareceram a audiência de conciliação do processo. Sendo assim, a empresa (réu) não pôde contestar a ação proposta contra ela. O fato dos sócios não terem ido a audiência pode dar a entender, ao juiz, que os fatos alegados pelo cliente, contra a empresa, são verdadeiros.



Fotos: Divulgação - Fonte: Divulgação