×SegurançaGeralViver BemCasa e DecoraçãoComer e BeberModa e EstiloVeículosQuem somosEsporteSeu PetRegiãoViagensTecnologiaVídeosEmpresas e EntidadesBairrosCultura

Moradora de Bento ganha Prêmio Internacional de Literatura

Premiação organizada pela Editora Litere-se condecorou escritoras mulheres que ainda não tiveram livros publicados. Emanuelle da Silva, de 19 anos, foi uma das que conquistou o prêmio.

07/07/2020 10:57

O Prêmio Internacional Mulheres das Letras de 2020, da Editora Litere-se, do Rio de Janeiro, que condecora escritoras da literatura portuguesa que ainda não estão no mercado editorial, divulgou, na semana passada, as vencedoras da segunda edição da premiação. Dentre as ganhadoras está a moradora de Bento Gonçalves, Emanuelle Ferreira Coelho da Silva, de 19 anos, que terá quatro de suas obras presentes no livro que homenageia a literatura portuguesa feminina. 

A premiação contou com mais de mil escritoras inscritas. O prêmio, de âmbito internacional, teve o intuito de promover o reconhecimento às escritoras mulheres que ainda não tiveram livros publicados e que ainda não se fazem presentes no mercado editorial. Emanuelle, que é natural de Curitiba-PR, mas que reside em Bento Gonçalves há cerca de cinco anos, foi uma das cem escritoras - de diversas partes do Brasil, além de Portugal, Irlanda, Moçambique e Inglaterra – que foram condecoradas. 

A informação de que suas obras foram premiadas foi recebida com surpresa, como relata Emanuelle: “Não esperava que fosse ser escolhida. Já tinha até desistido da ideia, quando recebi um e-mail, no qual dizia que eu tinha sido uma das cem escolhidas entre mais de mil mulheres para estar neste livro, representar a editora e todo esse movimento que representa essa nova chance às mulheres”. 

Emanuelle teve quatro textos premiados, entre eles poesias. Segundo a jovem escritora, a inspiração para as suas obras tem como cerne a sua família, as mulheres que a cercam e muitas outras que ela conheceu, e que serviram de alicerce. “Pretendia retratar a sociedade do modo em geral, uma sociedade que vemos, mas que fingimos não existir, uma realidade que precisa ser mostrada, discutida e que precisa haver mudanças para que todo âmbito social seja engajado”, explica. 


A sua paixão pela literatura vem desde criança. Aos cinco anos, quando começou a ler, Emanuelle logo demonstrou expressivo interesse pela leitura, e que a permeou durante toda sua vida e trajetória acadêmica. “Li minha vida toda, devorei os livros e decidi começar a escrever quando tinha 13 anos.  Escrevia músicas e tudo mais, e decidi a começar a escrever um livro em 2017, o qual levei dois anos para escrever”, comenta. 

Emanuelle, aluna do terceiro ano do ensino médio da Escola Municipal Alfredo Aveline, pretende lançar o seu livro com o apoio do Fundo Municipal da Cultura e deseja continuar elaborando novas obras, “sendo escritora até não conseguir ter mais palavras para escrever”, como salienta a jovem. 

Além disso, Emanuelle também visa algo ambicioso com suas obras literárias. “Continuo nessa meta escrevendo e sendo mais abrangente nesse mundo da leitura, trazendo para a juventude em si um novo olhar para a leitura, para livros, para toda a literatura do Brasil, mostrando que o jovem precisa abraçar essa causa, precisa trazer em si toda essa literatura muito boa que o Brasil tem”, pondera. 

O livro que reúne as obras das escritoras ganhadoras do prêmio poderá ser adquirido em breve através do site oficial da Editora Litere-se: www.editoraliterese.com.br/loja/

Confira um trecho da obra “Marido”, um dos textos de Emanuelle que foram premiados:

"[...]   Sem se despedir você foi embora, tão ingrato e sem coração que até esqueceu da sua cordialidade. Alimentou teu filho com teu ego, limpou a casa com teu cinismo e lavou as roupas com sua irritação. Sinceramente, não esperava menos de você.

Quando lhe conheci, você era jovem, forte, bonito e atraía mulheres como queria, mas era no meu sofá que sentava para tomar seu precioso café, seu precioso e maldito café. [...]"

Fotos: Arquivo Pessoal - Fonte: NB Notícias