×SegurançaGeralViver BemCasa e DecoraçãoCucina NBModa e EstiloVeículosQuem somosEsporteSeu PetFotosViagensTecnologiaVídeos

Pai denuncia agressão de professor no IFRS

Docente é acusado de ofender alunos, além de dar puxões de orelha e desferir socos em um dos estudantes, de apenas 15 anos

18/09/2016 09:57

Um professor de Educação Física do Instituto Federal do Rio Grande do Sul (IFRS) é acusado de agredir dois estudantes de 15 anos, durante uma aula realizada na manhã desta sexta-feira, dia 2. De acordo com o relato do pai de um dos alunos, que são do 1º ano do Ensino Médio (o nome dos jovens será preservado), o caso ocorreu por volta das 10h20min, no ginásio da instituição.

Conforme os adolescentes, o docente, que era substituto na turma nesta manhã, já estaria nervoso ao iniciar as atividades. Depois, em um segundo momento da aula, ao separar a classe em dois grupos para a prática de um jogo, ele teria puxado fortemente a orelha de um dos dois estudantes. Durante a partida, o professor também teria insultado e humilhado a parte da turma que não conhecia o jogo.

Ao final, incomodados com a situação, os alunos foram conversar com ele, e segundo Eldo Dorneles Junior, pai de um dos jovens, foram mais uma vez ofendidos. Nesse momento, Dorneles diz que o filho foi puxado pela orelha elevou vários socos na região das costelas, sendo empurrado ao final. “Eles me disseram que não houve nenhuma ofensa ao professor para que isso acontecesse. E mesmo que houvesse, eu também sou professor e sei que o adulto da turma somos nós. O professor nunca deve partir para a agressão, isso é um absurdo”,desabafa o pai.

Ele registrou um Boletim de Ocorrência, acionou o Conselho Tutelar e também denunciou o professor ao Ministério Público Federal(MPF). Ainda nesta sexta, os dois rapazes foram realizar exames. “No mínimo, eu espero que ele seja exonerado e preso, porque isso é inadmissível. Ele usou da posição dele para bater em adolescentes. Isso demonstra que ele tem sérios problemas psicológicos”, completa.

Outra situação que gerou revolta no pai foi o fato de o docente nem mesmo se manifestar, apresentando sua versão dos fatos. “Quando cheguei na escola, ele nem estava mais lá. Ou seja, nem quis se explicar ou pedir desculpas. Simplesmente, nos ignorou. Mas isso não vai ficar assim, vou continuar em cima para que ele seja punido. E a primeira coisa que tem que acontecer é ele perder o emprego”, acrescenta.

Dorneles afirma também que o filho está chorando bastante e com medo de voltar para as aulas. “Além de ele ter medo de que esse professor possa fazer algo em vingança, isso tudo pode gerar uma situação de bullying. E ele sempre foi um excelente aluno, com notas muito boas”, lamenta o pai.

O que diz o IFRS
Segundo a diretora de ensino do IFRS, Leane Maria Felipetto, assim que o fato ocorreu, os dois alunos foram atendidos por uma enfermeira e, posteriormente, levados para atendimento com uma psicóloga. A direção também conversou com os pais dos estudantes.

Leane afirma que foi formada uma comissão de sindicância no Instituto, encarregada de ouvir todos os envolvidos no caso e as testemunhas do ocorrido para averiguar o que realmente aconteceu. Por enquanto, o professor não se manifestou para os diretores sobre o fato. A expectativa é de que até semana que vem sejam tomados todos os depoimentos para a conclusão da sindicância.
 

O professor acusado das agressões foi contatado por mensagem via Facebook, mas até a publicação desta reportagem não havia respondido.

Fotos: Jorge Bronzato Jr. - Fonte: Reprodução