×SegurançaGeralViver BemCasa e DecoraçãoComer e BeberModa e EstiloVeículosQuem somosEsporteSeu PetRegiãoViagensTecnologiaVídeosEmpresas e EntidadesBairrosCulturaVariedadesEleiçõesBrasil

Prefeitura quer contratar empresa que não tem estrutura para recolher o lixo da cidade

Pelo novo contrato, Serrana colocaria pouco mais da metade dos caminhões e funcionários em relação aos utilizados pela RN Freitas. Custo por caminhão utilizado no novo contrato será de R$ 46,5 mil contra R$ 30,8 mil do anterior.

20/05/2017 06:29

A economia de quase R$ 150 mil anunciada pela prefeitura na troca da empresa que fará o recolhimento de lixo em Bento Gonçalves na verdade não vai se confirmar. A empresa Serrana, da cidade de Nova Bassano, realmente cobrou um preço menor que a RN Freitas, cujo contrato venceu na terça-feira, 16. Porém, o custo por caminhão utilizado pela nova empresa será R$ 15,7 mil superior ao do contrato anterior. Além disso, a nova contratada não dispõe de veículos para realizar o serviço e irá alugar de outras empresas.

A decisão de não renovar o contrato com a empresa RN Freitas, alegando economia, mostra-se como um tiro no pé do poder público. Ninguém da prefeitura fala abertamente sobre o novo contrato e a reportagem do Notícias de Bento foi atrás de informações para esclarecer seus leitores. Ao que tudo indica, a empresa Serrana não possui caminhões suficientes para atender a demanda de Bento Gonçalves. Para apresentação aos representantes da prefeitura, a empresa trouxe apenas cinco veículos, num total de 12 exigido para o contrato temporário.

Porém, para atingir os 12 caminhões necessários, a empresa de Nova Bassano estaria locando caminhões de empresas que fazem o serviço de coleta de lixo nas cidades de Serafina Corrêa, Nova Prata e São Francisco de Paula. Além disso, a empresa está recém oferecendo vagas para a contratação de funcionários que fariam este serviço, portanto sem condições de realizar o serviço nem neste sábado, como informou a prefeitura em comunicado, e também na segunda-feira, 22. Pelo novo contrato, a prefeitura pagaria R$ 570 mil à Serrana, cerca de R$ 120 mil a menos que o valor pago à RN Freitas. Porém, a antiga contratada colocava à disposição do município 22 caminhões e 40 funcionários para fazer o serviço, enquanto a Serrana irá colocar 12 veículos, sendo a maioria deles alugados, e 24 funcionários. Com isso, em vez de diminuir os gastos, a prefeitura terá um gasto proporcional maior, porque menos veículos estarão atendendo a cidade, onde o custo por caminhão fazendo a coleta passa a ser de R$ 46,5 mil. Anteriormente, com a RN Freitas este custo era de R$ 30,8 mil.

Enquanto a prefeitura se atrapalha na contratação de uma nova empresa, o lixo vai se acumulando nas ruas da cidade. Na área central, onde o lixo foi recolhido por funcionários da prefeitura na sexta-feira, 19, pouco resultado teve. Na manhã deste sábado, 20, o lixo já estava acumulado novamente em várias ruas. Pedestres que passam nos locais reclamam do intenso mau cheiro, principalmente nas ruas onde há restaurantes e lancherias.

Nos bairros, onde a coleta não foi feita, a situação é ainda mais crítica. Em muitos locais o mau cheiro começa a tomar conta. No bairro Planalto, um dos pontos turísticos da cidade e também conhecido por ser uma das principais áreas gastronômicas do município, amanheceu com uma montanha de lixo na Rua Herny Hugo Dreher. Os comerciantes estão com receio, porque o acúmulo de lixo já está atraindo ratos e baratas para as ruas. Com isso, eles precisam redobrar os cuidados em seus estabelecimentos para evitar que estes animais apareçam em seu ambiente e acabem espantando os clientes.


Fotos: MARCELO DARGELIO - Fonte: Marcelo Dargelio