×SegurançaGeralViver BemCasa e DecoraçãoCucina NBModa e EstiloVeículosQuem somosEsporteSeu PetFotosViagensTecnologiaVídeos

Revelados os beneficiados na fraude do concurso da Câmara

Saiba como os beneficiados no exame, que teriam sido indicados pelo ex-presidente Valdecir Rubbo (PTB), foram "aprovados" nas provas

02/07/2016 04:50

Após um longo período de investigação dos fatos, o promotor Alécio Silveira Nogueira enviou para a 2ª Vara Cível do Fórum de Bento Gonçalves o processo da fraude no concurso da Câmara de Vereadores. No caso, foram apontadas na inicial pelo ato de improbidade o ex-presidente da Câmara, vereador Valdecir Rubbo (PTB), sete das oito pessoas que ele teria indicado para serem aprovadas no exame, além dos diretores das empresas IDRH e Leitura Ótica e do ex-pregoeiro da prefeitura, Álvaro Luvison.

Porém, desde que a denúncia feita na esfera criminal pelo promotor Mauro Rockenbach, a comunidade bento-gonçalvense espera para saber como foi feita a fraude no concurso e, principalmente, quem seriam os beneficiados no concurso. Os nomes estão no processo judicial que ainda não está sob segredo de justiça. O promotor Alécio Nogueira afirma que dos oito indicados pelo ex-presidente da Câmara, cinco deles não passaram na prova e foram levados para o primeiro lugar e um em segundo lugar. Três foram aprovados entre a 19ª e a 22ª colocação, sendo encaminhados para o primeiro lugar.

Entre os oito beneficiados na ação fraudulenta, seis assumiram o cargo. Apenas uma pessoa não foi empossada. Uma outra chegou a assumir o cargo e pediu exoneração no mês de abril deste ano. Com isso, a Promotoria decidiu apontar na inicial do processo sete pessoas (nomes estão na tabela abaixo) que hoje ocupam seus cargos na Câmara por improbidade administrativa. Além disso, o promotor pediu em liminar a suspensão da convocação de todos os chamados no concurso e seu afastamento imediato de seus cargos. A expectativa é de que a petição seja analisada dentro de 10 dias.

Pelo que apurou a Promotoria, dos nove convocados pela Câmara de Vereadores, apenas três não tinham envolvimento no esquema fraudulento e foram aprovados por seus méritos. Em delação premiada, o proprietário da empresa IDRH, Maicon Cristiano de Mello, afirmou que recebeu R$ 5 mil das mãos do ex-presidente da Câmara, vereador Valdecir Rubbo, para que fossem aprovadas oito pessoas indicadas por ele no concurso do Legislativo.

Quem são os beneficiados no concurso (segundo o que consta no processo)

Giancarlo Zanetti - segundo a investigação do Ministério Público, não teria passado na prova. Com a fraude, foi colocado em primeiro lugar na vaga para advogado, tendo sua convocação homologada em 5 de agosto de 2015.

Alex Sandro Caetano da Silva - Também não foi aprovado no concurso. Com a troca de cartões, foi aprovado em segundo lugar no cargo de Oficial Administrativo. Sua convocação foi homologada em 5 de agosto de 2015.

Inês Carolina Benedusi - Foi mais uma concursada beneficiada na fraude. Ela foi aprovada em primeiro lugar no cargo de ouvidor, após a ação fraudulenta de troca de cartões. Teve sua convocação homologada em 9 de abril de 2015.

Leandro Stello - Foi beneficiado na fraude sendo colocado como aprovado em primeiro lugar para o cargo de técnico em processamento de dados. Sua convocação foi homologada no dia 20 de fevereiro de 2015.

Eliane Massola - Fez o concurso para o cargo de oficial administrativo. Com a fraude da troca de cartões, passou a ocupar o primeiro lugar no certame, tendo sua convocação homologada em 6 de fevereiro de 2015. Ela chegou a assumir o cargo e pediu exoneração no mês de abril deste ano.

Patrícia Pasinato - Após a troca de cartões, foi aprovada em primeiro lugar para o cargo de gestor de recursos humanos. Sua convocação foi homologada em 20 de janeiro de 2015.

Radamés Perin - Seguindo a indicação do ex-presidente da Câmara, Valdecir Rubbo, ele foi beneficiado e colocado em primeiro lugar para o cargo de tesoureiro. Foi convocado para assumir a função no dia 20 de janeiro de 2015.

Fotos: MARCELO DARGELIO - Fonte: Divulgação