×SegurançaGeralViver BemCasa e DecoraçãoComer e BeberModa e EstiloVeículosQuem somosEsporteSeu PetRegiãoViagensTecnologiaVídeosEmpresas e EntidadesBairrosCultura

Entrevista: "O Distanciamento Controlado não reflete a realidade de nossa região", diz presidente da Amesne

À frente da entidade, o prefeito de Cotiporã, José Carlos Breda, adianta que a Serra ficará novamente em classificação vermelha no anúncio preliminar desta sexta-feira, dia 31

30/07/2020 03:12

Com uma nova classificação em bandeira vermelha tida como praticamente certa, no anúncio do Distanciamento Controlado que virá nesta sexta-feira, dia 31, a Associação dos Municípios da Encosta Superior do Nordeste (Amesne) trabalha para tentar garantir que a Serra gaúcha possa adotar protocolos intermediários que permitam o funcionamento de mais atividades econômicas. Em entrevista ao NB Notícias, transmitida ao vivo no início da tarde desta quinta-feira, 30, o prefeito de Cotiporã e presidente da entidade falou sobre a chamada "bandeira cor de vinho" proposta pela região ao Executivo estadual nesta semana.

O conglomerado de municípios mantém uma expectativa positiva quanto à nova proposição, que estaria entre as bandeiras laranja e vermelha. Com base nesse novo modelo, por exemplo, restaurantes poderiam abrir para o atendimento presencial, mas com uma capacidade limitada, que seria de 25% ou 30%. "Esperamos que o Governo do Estado se sensibilize, para, até o final de semana, começar a flexibilizar um pouco e deixar as pessoas trabalharem", afirma o presidente.

Breda também voltou a reforçar as críticas que a Amesne já apresenta ao Distanciamento Controlado há pelo menos um mês meio, defendendo que o sistema "não reflete a realidade de nossa região". "Há pelo menos dois indicadores que estão errados e nós temos apontado isso. Um diz que, a cada 100 mil habitantes, só podemos ter três internações em leitos clínicos a cada sete dias. É um número irreal. Outra questão é o índice de leitos de UTI vagos frente aos ocupados, que deveria ser na proporção de quase 2,5 leitos livres. Hoje, mesmo com 70 leitos de UTI liberados, estaríamos na bandeira preta nesse critério. Ele precisa ser corrigido, pois também puxa nossa classificação para cima", explica.

O presidente da Amesne destaca, ainda, que a Serra poderia ter permanecido em bandeira laranja ao longo das últimas semanas, pela capacidade da sua rede de saúde. "Não somos irresponsáveis, ninguém abre mão de garantir o atendimento e o combate ao Coronavírus. Claro que a gente bate nos pontos que estão equivocados, não tem como ser diferente. Mas é sempre no intuito de construir, não de desqualificar o modelo, que parte de uma boa ideia, mas precisa ser aperfeiçoado. Tem regiões que não querem assumir a responsabilidade. É mais fácil deixar para o governador, essa é uma decisão mais cômoda, mas isso é para aqueles que não querem tomar uma posição e ficam em cima do muro", finaliza Breda.

No final da tarde desta sexta, o Estado deve anunciar o mapa preliminar da 13ª rodada do Distanciamento Controlado. Depois, até domingo, as cidades que desejarem uma revisão dos dados podem apresentar recursos, que serão julgados até a segunda-feira, dia 3 de agosto. No mesmo dia, durante a tarde, a classificação definitiva é divulgada, passando a vigorar na terça-feira, dia 4.

Fotos: Reprodução NB Notícias - Fonte: