×SegurançaGeralViver BemCasa e DecoraçãoComer e BeberModa e EstiloVeículosQuem somosEsporteSeu PetRegiãoViagensTecnologiaVídeosEmpresas e EntidadesBairrosCulturaVariedadesEleiçõesBrasil

REFORÇO NAS RUAS: Guarda Civil completa um ano de atuação em Bento Gonçalves

Efetivo conta atualmente com 17 agentes. Balanço do período aponta que a corporação efetuou 143 prisões

28/07/2020 11:50

Um ano após a sua instalação em Bento Gonçalves, a Guarda Civil Municipal (GCM) divulgou, nesta segunda-feira, dia 27, um balanço de suas ações desde o início das atividades da corporação. No período, foram feitas 143 prisões e apreendidas 300 porções de entorpecentes, sobretudo em operações preventivas realizadas em praças e logradouros públicos.

Com o convênio junto ao Programa SIM, assinado com a Secretaria de Segurança do Estado, Bento foi o primeiro município cuja formação da Guarda ocorreu através da parceria com a Brigada Militar. Assim, as 776 horas/aula foram ministradas por oficiais da BM, delegados de polícia e agentes de segurança de outras instituições.

Os atuais 17 agentes da GCM possuem armamento e equipamentos de proteção individual, tendo à disposição, ainda, três espingardas calibre 12. Recentemente, o efetivo recebeu três viaturas novas: uma camionete equipada e preparada para ações policiais, com compartimento especial para transporte de detidos, e duas motocicletas, que foram somadas a outras duas camionetes e duas motos que já pertenciam à Guarda. "A atuação da GCM na segurança em Bento Gonçalves traz resultados satisfatórios em várias frentes. Além de pronta resposta em ocorrências que for solicitada ou se deparar, faz aumentar a sensação de segurança com a presença constante em locais públicos como ruas, escolas, praças, pontos de ônibus, e com seu patrulhamento ostensivo preventivo", destaca o comandante da GCM, Clóvis Lavarda Couto.

O secretário de Segurança, Diego Caetano de Souza, assumiu a pasta após a saída do antecessor, José Paulo Marinho, que participou do processo de fundação da GCM e acompanhou o desenvolvimento da corporação. "A responsabilidade deste grupo é muito grande, e Bento hoje pode dizer que tem agentes comprometidos com a segurança da população. Uma equipe que teve que se adaptar ao surgimento da pandemia, prestando apoio nas ações de combate ao coronavírus. Parabenizo o trabalho de todos, e seguimos evoluindo", salienta.

Com a palavra, os agentes
O agente Cleiton Pires Barbosa ressalta que foi um ano difícil, mas de adaptação à nova função. "Viemos para auxiliar e contribuir com a segurança da cidade, e ainda estamos na luta para conquistar respeito e aceitação da sociedade. Com atividades variadas, a cada dia passamos por diversas situações que necessitam cautela na tomada de decisões. Em contrapartida, é uma profissão gratificante e o maior aprendizado é chegar em casa e agradecer por ter vencido mais um dia", destaca.

Na avaliação do GCM Murilo Echevenguá Pereira, o grupo está em constante evolução. "Vamos aprimorando nossas abordagens, adaptando para melhor servir a população de Bento Gonçalves. Dessa maneira, a cada dia que passa, nos deparamos com situações diversas, das mais variadas formas, e crescemos como agentes de segurança", aponta. "Nossa turma contou com uma formação muito boa da Brigada Militar, a qual nos deu uma base inicial, já que não tivemos antecessores para facilitar esse começo. Estamos sempre buscando crescer cada dia mais na nossa função para poder entregar para sociedade um serviço eficiente e de excelência", completa o agente Charles Berwaldt Goert.

A GCM Érika Antolini Veçozzi lembra, por fim, que o grupo há mais de 100 dias também assumiu o trabalho contra a disseminação do coronavírus, e para cumprimento dos decretos municipais. "Nossa expectativa para os próximos anos é positiva e está baseada na busca pelos menores índices de criminalidade em Bento Gonçalves, garantindo os direitos fundamentais das pessoas e manutenção da ordem pública", projeta.

Ampliação e polêmica
Recentemente, a GCM também foi alvo de polêmica em Bento Gonçalves. Depois de criar novos cargos e autorizar o chamamento de mais 28 aprovados no concurso público de 2018, a prefeitura voltou atrás e cancelou as convocações, tomando como base uma lei federal que estabelece novos medidas relacionadas à nomeação de concursados. A decisão foi duramente criticada pelos candidatos, tendo em vista que pelo menos cinco deles afirmam terem assinado o termo de posse antes da suspensão.

Fotos: Divulgação prefeitura - Fonte: