×SegurançaGeralViver BemCasa e DecoraçãoComer e BeberModa e EstiloVeículosQuem somosEsporteSeu PetFotosViagensTecnologiaVídeosEmpresas e EntidadesBairrosCultura

Compositor gaúcho é homenageado pelo Google

Lupicínio Rodrigues, autor de diversas músicas de sucesso e também do hino do Grêmio, faria 105 anos nesta segunda-feira, 16.

16/09/2019 10:29

O Google amanheceu com uma homenagem ao compositor gaúcho Lupicínio Rodrigues nesta segunda-feira, 16, quando ele completaria 105 anos. O doodle na página inicial do portal ganhou uma animação do músico com uma referência a um coração partido. 

O cantor e compositor porto-alegrense, que morreu em 1974, ficou conhecido pelas marchinhas de carnaval e sambas que se referiam a amores perdidos. Lupi, como era apelidado, também compôs o hino do Grêmio, que completou 116 anos neste domingo, 15. Com um carreira repleta de sucessos, o músico ganhou relevância a partir de 1935, após vencer concurso do centenário da Revolução Farroupilha.  Também era conhecido pela fama de boêmio, tendo sido proprietário de diversos bares, churrascarias e restaurantes com espaço para apresentações musicais. 

Reprodução / Google

O Hino do Grêmio

No ano de 1952, gravou seu primeiro álbum “Roteiro de um Boêmio”. No ano seguinte, compôs o atual Hino do Grêmio. No dia do jogo – Grêmio x Cruzeiro – houve muita dificuldade de acesso ao local, o Estádio da Baixada, no bairro Moinhos de Vento, devido a uma greve iniciada dias antes pelos motoristas, motorneiros e cobradores de ônibus e bondes da Carris, Soul e Teresópolis. Este fato justifica o verso presente no hino “Até a pé nós iremos…” Lupi é homenageado pela família gremista, por meio de um retrato, na Galeria dos Gremistas Imortais, no salão nobre do clube. Em 1954, ano do suicídio do presidente Vargas, seu samba-canção “Aves daninhas” foi gravado por Nora Ney, pela Continental, constituindo-se num grande sucesso.

Falecimento em agosto de 1974

Lupicínio Rodrigues faleceu de insuficiência cardíaca, em 27 de agosto de 1974, e foi sepultado, no Cemitério São Miguel e Almas. Ao som do grande sucesso, “Se acaso você chegasse”, o jornalista Paulo Santana (1939-2017), sob os aplausos da multidão, começou a cantar, emocionando todos os presentes.



Fotos: Divulgação - Fonte: Divulgação