×SegurançaGeralViver BemCasa e DecoraçãoCucina NBModa e EstiloVeículosQuem somosEsporteSeu PetFotosViagensTecnologiaVídeos

Golpe da vaga de emprego atinge 300 mil pessoas no Facebook

A tática envolve impulsionar postagens e pagar por comentários de destaque em transmissões ao vivo de celebridades na rede social, em troca de um ano de assinatura de Spotify e Netflix.

21/06/2019 12:55

Um novo golpe que usa anúncios de falsa vaga de emprego afetou mais de 300 mil usuários do Facebook desde o mês de maio. Identificado pelo DFNDR Lab, laboratório de segurança digital da PSafe, o ataque visa roubar dados e invadir perfis das vítimas que clicam no link malicioso. 

De acordo com especialistas, a tática envolve impulsionar postagens e pagar por comentários de destaque em transmissões ao vivo de celebridades na rede social, com o objetivo de atrair o maior número de cliques possível. O método vem dando certo: segundo o levantamento, a fraude gera 220 novos registros por hora. Para os especialistas, são números de roubo de credenciais inéditos. 

Links publicados pelos criminosos no Facebook levam o usuário a uma página falsa de login em que ele precisa informar o e-mail e a senha de cadastro na rede social. Em seguida, o site solicita que um suposto código de segurança seja usado para autenticar o acesso. Sem saber, a vítima está concedendo permissão para que o hacker invada sua conta em outro dispositivo. 

A última etapa do ataque envolve a obtenção de mais dados pessoais, como nome completo, data de nascimento e número de celular. Para isso, o usuário é encorajado a preencher um formulário para, supostamente, ganhar um ano grátis de utilização dos serviços de streaming Spotify e Netflix. 

O método se assemelha a crimes virtuais normalmente presentes no WhatsApp, que costumam envolver datas como Páscoa e até lançamento de filme para enganar o leitor menos atento e instigar o clique. Dessa vez, o pretexto é o alto número de desempregados no país – segundo o último levantamento do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o desemprego atinge hoje 13,2 milhões de pessoas. 

Como se proteger

A recomendação para se proteger desse tipo de golpe é, primeiro, suspeitar de links publicados por desconhecidos nas redes sociais. Na dúvida sobre a idoneidade, é possível checar se o link é verdadeiro ou não usando ferramentas online. Uma delas está presente no site do DFNDR Lab (https://www.psafe.com/dfndr-lab/pt-br/): basta colar a URL para verificar se há registro de golpes relacionados na base da empresa. É possível realizar procedimentos similares com o VirusTotal. 

Fotos: Divulgação - Fonte: Divulgação